AC Jazz

 

O saxofonista brasileiro AC concluiu bacharelado em Performance na Berklee College of Music em Boston em 1991, mestrado em saxofone pela California Institute of the Arts em 1993 e doutorado em Música (Praticas Interpretativas) pela UNIRIO em 2005 onde escreveu uma tese sobre a improvisação na música instrumental brasileira para qual entrevistou grandes instrumentistas brasileiros da atualidade.
Em Boston, ao se formar recebeu o prêmio Berklee Performance Achievement Award e na Califórnia teve uma composição lançada pela Capitol Records no CD Calarts Jazz-93.
Entre os seus professores destacam-se Mauro Senise no Brasil e Ernie Watts, George Garzone, Hal Crook and Charlie Haden nos Estados Unidos. Durante a estada de sete anos nos Estados Unidos, paralelamente aos estudos trabalhou com Matt Johnson, Thom Teresi, Alejandro Santos e a banda Soul Twisters, entre outros.

Uma figura proeminente no cenário de jazz carioca AC já trabalhou no Brasil com o Zimbo Trio, Alaíde Costa, Severino Araújo, Robertinho Silva, Paulinho Braga, Nivaldo Ornellas, Big Joe Manfra, Weber Drummond e Claudio Infante, entre tantos outros.
Participou dos discos de Marcio Hallack – Tudo Azul -, de Ronaldo Diamante – Jaix e Charanga -, de Adriano Giffoni – Contrabaixo Brasileiro, Caçula e Quixadá Acústico -, de Alfredo Dias Gomes – Groove -, de Andre Rodrigues – Codificado, Thom Teresi (Street Smart), Big Joe Manfra (Big Joe Manfra Big Band ao vivo) e outros.
Muito atuante no cenário do jazz e da música instrumental brasileira AC tem se apresentado varias vezes no Festival de Jazz Blues de Rio das Ostras – 2005, 2006, 2008 – e em outros eventos importantes do gênero – Sesc Instrumental, etc.

Quanto a seus projetos pessoais AC participou do quinteto Solari Jazz que lançou um CD muito bem recebido em 1998. Em junho de 2002 lançou o CD Brazilian Acid em parceria com o produtor CDC (Carlos da Costa), desenvolveu em 2003 um projeto de duo com o pianista Marco Tommaso, com o qual gravou o CD Soundscapes e em 2006 lançou um projeto de saxofone solo chamado Naked Truth. Com seu grupo AC Jazz o músico gravou algumas faixas disponníveis para compra e download pelo site www.nossamusica.com

Nos últimos dois anos AC expandiu seu trabalho para àrea de direção e produção musical e realizou projetos marcantes no Rio de Janeiro. Em 2006 AC foi co-criador e diretor artístico da Orquestra Popular, uma orquestra no formato das Big Bands, que divulgou as músicas de grandes artistas como Osmar Santos, Milton Nascimento, Wagner Tiso, Tom Jobim, Egberto Gismonti e outros, sob patrocínio do Grupo Telemar/Oi. Também em 2006 e 2007 AC foi co-produtor e diretor musical do Prosper Jam, um show de jazz semanal patrocinado pelo Banco Prosper. Este formato envolvia um quarteto fixo e convidados semanais dentre os quais figuraram nomes locais e internacionais como Marcio Montarroyos, Robertinho Silva, Idriss Boudrioua, Widor Santiago, Paulinho Trompete, Hamleto Stamato, Clif Korman, Paulo Moura, Marco Lobo, Jessé Sadock, etc. Cada ano deste projeto culminou com o lançamento de CDs institucionais para o patrocinador.
Como um músico que é altamente qualificado na sua arte AC há tempos assumiu o papel de professor e educador se dedicando também a formação individual de outros músicos como professor de saxofone, improvisação jazzistica e harmonia de jazz. Na Universidade Estácio de Sá; ele compartilha seus conhecimentos e aptidões técnicas nas aulas de Técnicas de Produção II e Introdução ao MIDI, Softwares de música e Workstations e atualmente se concentra nas cadeiras de Música Eletrônica e Síntese de Som e Produção Musical e Sonoplastia para Radio / TV e Harmonia. Atua também como professor substituto de saxofone da UNIRIO onde é responsável pelas aulas de saxofone e improvisação. Como Professor Doutor AC ainda contribui para discussões acadêmicas tendo sido convidado em 2005 para o Simpósio de Pesquisa e Musica de Curitiba e em 2006 para o Leeds International Jazz Conference na Inglaterra onde apresentou trabalhos sobre a produção do jazz brasileiro. Ele também escreve artigos para revistas especializadas como Backstage e Sax e Palhetas.

Músico, professor e produtor de igual talento e competência, AC conquistou uma posição de singular destaque no Brasil como o primeiro saxofonista a obter um PhD na área e a ocupar plenamente seu espaço artístico nos palcos e sua posição acadêmica na universidade.