Senhora Raiz vem confirmar o que todos nós sabemos: Roberta Miranda é dona de uma voz excepcionalmente bonita que, aliada a sua qualidade vocal, faz dela essa potência popular.

Com mais de 20 anos de carreira, 20 discos gravados e mais de 16 milhões de discos vendidos é, sem dúvida nenhuma, a maior cantora de seu gênero na música brasileira.

A explicação para o sucesso de Roberta? Elementar meu caro Watson, seu talento. Talento que ela utiliza a seu favor na hora da pesquisa do repertório, verdadeira garimpeira de tesouros, capaz de transitar entre uma guarânia, Meu Primeiro Amor (José Fortuna, H. Gimenez e Pinheiro Jr.), Tristeza do Jeca (Angelino de Oliveira) imenso sucesso popular do filme homônimo com Mazzaropi no papel título – os mais jovens podem até desconhecer o filme mas graças a regravações como essa jamais esquecerão a música – e Guacira, parceria do maestro e grande erudito, Hekel Tavares com Joracy Camargo. Roberta não faz por menos e convida ninguém menos que Maria Bethânia para cantar com ela.

Para os que vão reclamar da ausência de músicas da própria Roberta, que além de cantar e encantar, ainda compõe, um momento supremo de delicadeza com A Majestade, o Sabiá, com certeza seu maior sucesso autoral no gênero e que não poderia ficar de fora.

Mas as preocupações e o cuidado de Roberta, ultrapassam o conteúdo, ela quer cuidar também da forma, e embala para presente essas obras servindo-se de uma orquestra de músicos eruditos, que ela alia aos músicos sertanejos. Sutileza e elegância garantidas. Artista que sou, impossível não me identificar com os versos de Viajante Solitário (Edinho da Matta/Cezar Meridional): “ Minha vida é viajar, sou o amor que alguém espera / Sou o portador da alegria... (...) / Sou o artista da estrada/ (...) passo e deixo uma saudade....sempre chora um coração...”

Afinal, foi numa dessas inúmeras viagens que marcam a vida dos artistas que nossos caminhos se cruzaram....estávamos num aeroporto, indo não sei pra onde ou chegando de onde também não sei, quando Roberta se aproximou e me perguntou se poderia dirigi-la no show de lançamento do seu disco Pele de Amor. Convite inesperado, mas prontamente aceito.

Como foi esse para escrever esse release.

Ouvindo SENHORA RAIZ “meus pensamentos tomam forma e eu viajo” pensando nos muitos corações que hão de se emocionar com essa viagem, então não mais solitária, de Roberta Miranda ao mundo da legítima música sertaneja de raiz. Aquela que é tocada nas rodas de viola, por boiadeiros, caminhoneiros e lavradores.

Mais do que uma declaração de amor que marca uma volta às suas origens de grande parte do povo desse nosso Brasil, aquele que normalmente deixamos à margem, e do qual Roberta Miranda é verdadeira representante, diria mesmo, porta-voz....E que voz!

Bibi Ferreira