Ellen de Lima nasceu Helenice Teresinha na Bahia, mas já aos dois anos seguiu para o Rio de Janeiro.

Começou sua carreira em 1950 no programa de calouros de César de Alencar, na Rádio Nacional, bem como no "Alvorada dos Novos", da Mayrink Veiga, pela qual foi contratada em 1954 para apresentar-se no Rio e em São Paulo.

Foi uma das primeiras contratadas da Columbia, no Brasil, lançando nesse mesmo ano o seu primeiro disco, a convite do maestro Renato de Oliveira, com o samba-canção "Até Você" (Armando Nunes) e o slow-fox "Melancolia" (Allain Romans, versão de Capitão Furtado), em 1957, fez sucesso com o bolero "Vício" (Fernando César), gravando seu primeiro LP, "Ellen".

Atuou bastante em televisão (trabalhou como atriz-cantora na TV Globo, ao lado de Fernanda Montenegro e Sérgio Britto) e em diversas boates, como a Oásis paulistana e O Galo, no Rio de Janeiro, além de participar de espetáculos no Copacabana Palace, ao lado de Haroldo Costa e das Irmãs Marinho.

Gravou nos anos 60 na Chantecler LPs como "Ellen de Lima" e "Ellen... Canta!". Em 1969 gravou um LP homônimo na Odeon, com "Cante, Cante" (Tito Madi) e "Somente Porque Te Amo" (Leci Brandão).

No correr de sua carreira apresentou-se também em Portugal, no Cassino Estoril, por diversas vezes. A partir de 1988 passou a integrar o grupo As Eternas Cantoras do Rádio, ao lado de Carmélia Alves, Violeta Cavalcante, entre outras, com o qual gravou três CDs. No volume 3, gravou "Estrela" (Gilberto Gil), em duo com seu autor, e "Bésame" (Flávio Venturini e Murilo Antunes).

Ellen já ganhou títulos importantes, como o de Rainha dos Músicos e a medalha Oswaldo Cruz.