Nasceu no Rio de Janeiro em 14/08/45

Tudo começou quando por um acaso feliz do destino, sua mãe Ophélia conheceu e se casou com um dos grandes saxofonistas americanos - Booker Pittman. Ouvindo discos de Ella Fitzgerald e Sarah Vaughan e embalada pela sonoridade do sax de Pittman, Eliana foi descobrindo sua vocação musical. Até que a grande chance surgiu aos quinze anos, ao se apresentar ao lado de Booker num programa da TV RIO.

No princípio, ela era uma intérprete de uma única canção criada por Booker - "Mama don't want no music play here". Daí vieram os programas de rádio como os de César de Alencar na Rádio Nacional, shows em casas noturnas e uma temporada em dezembro de 1961 na Argentina com apresentações no célebre Teatro Maipo em Buenos Aires e na cidade de Mar del Plata, com o mesmo sucesso.

Mas a sorte continuou a acompanhar o talentoda cantora adolescente que, rapidamente, foi reconhecida na terra de Booker. Acompanhada por ele, teve o privilégio de conhecer de perto Louis Armstrong e Count Basie e de assistir a shows de suas musas - Sarah Vaughan e Ella Fitzgerald.

Ao mesmo tempo que preserva o seu repertório de música popular brasileira, revive seus grandes hits da música popular brasileira, revive seus grandes hits da música norte-americana em temporadas populares no Teatro Casa Grande, Teatro Glória, Copacabana Palace e no Canecão (patrocínio UNIG). Antenada com o tempo, ela agora faz uma radical transformação em seu estilo de apresentação, ttrazendo ao seu repertório um rítmo dance, mais funkeado em clássicos da MPB de todos os tempos. Mais um jeito original de ser Eliana que, certamente, vai continuar entusiasmando seu público cativo e que, sem dúvida, conquistará de vez a geralção pop/rap/funk/dance do terceiro milênio.